275 coletivos quebram todos os dias, em média, na capital

Em reportagem publicada na edição desta segunda do Metro Jornal, o repórter André Vieira apurou que, em média, 275 coletivos da capital não terminam suas viagens devido a quebras. Os dados foram conseguidos junto à SPTrans através da Lei de Acesso à Informação. Em relação ao ano passado, o número caiu em 9%.

Segundo o professor de engenharia de tráfego e gestão da manutenção da Universidade Presbiteriana Mackenzie Campinas Luiz Vicente Figueira de Mello Filho, o índice ainda “é extremamente alto”. O professor afirmou ainda que esse tipo de ocorrência afeta a todos pois um veículo parado por 30min pode causar um congestionamento de 5km. Além disso, esses números mostram falhas na fiscalização da Prefeitura.

Procurada pela reportagem do Metro Jornal, a SPTrans afirmou que os veículos quebrados devem ser substituídos imediatamente. Além disso, consideram que o aumento no número de vistorias (agendadas ou não), que foi de 8,7%, já se reflete na queda da quantidade de veículos quebrados. O sindicato das empresas – SPUrbanuss – afirmou que a manutenção tem sido aprimorada e que o asfalto irregular e o vandalismo “são os maiores causadores das falhas” (aspas da reportagem).

A reportagem completa pode ser acessada aqui.

*

Imagem da capa: retirado do vídeo “Ônibus da VIP Quebrado” .

José E. Sales

É blogueiro desde 2009, primeiramente no extinto “Linha Circular” e, agora, no “Circular Avenidas”. Foi colunista da “Revista Interbuss” entre 2010 e 2015. É um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Também é estudante de jornalismo e quer se especializar na área de mobilidade urbana.
Fale conosco: contato@circularavenidas.com.br .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *