Política de “seccionamentos” da SPTrans continua colocando o passageiro para baldear na rua

Magaldi-Guarapiranga
Antiga indicação de baldeação entre a 6007/10 e a 707K/10: entre o ponto na Rua José Barros Magaldi e o Terminal Guarapiranga são (estimados) cinco minutos de caminhada. E ainda tem a fila!

Desde o início do sistema “Interligado”, nome do projeto de remodelação das linhas de ônibus da capital (mas que não é mais utilizado), iniciado na gestão da prefeita Marta Suplicy (2001-2005), a política de seccionamentos (cortes) de linhas de ônibus sempre foi questionada pela população. A principal crítica a esse sistema foi a de que a maneira como são feitos muitos desses cortes, houve, na verdade, um aumento no tempo de deslocamento e não uma diminuição. A maioria delas por falta de agilidade na conexão entre as linhas que vêm dos bairros com a linha que leva a população ao centro. No caso do seccionamento da linha 675V/10 Terminal Capelinha-Metrô Jabaquara, que ocorrerá no próximo sábado, a política não será diferente (veja também em “Três linhas que atendem a M’Boi-Mirim serão extintas no dia 8 de julho”).

Até a última quinta-feira, de acordo com a Newsletter da SPTrans nº 12854 (que ainda está no ar), a informação era de que o usuário da linha 675V/10, que vem do Terminal Capelinha pela linha 6007/10 Terminal Capelinha-Terminal Santo Amaro, deveria descer na Rua José Barros Magaldi nº 1013 e seguir a pé até o Terminal Guarapiranga, onde irá pegar a nova linha 707K/10 Terminal Guarapiranga – Metrô Jabaquara. Segundo estimativa do Google Maps, o percurso a pé, do ponto da Rua José Barros Magaldo nº 1013 até o Terminal Guarapiranga, leva em torno de 5 minutos.

No entanto, na última sexta, a própria SPTrans anunciou que a 6007/10 teve uma mudança em seu novo itinerário (veja em “Novo itinerário da 6007/10 sofre alteração a pedido da comunidade“), passando a seguir pela Estrada do M’Boi-Mirim até a Av. Guido Calói. Com isso, a melhor alternativa para o usuário que vem do Terminal Capelinha passou a ser descer no ponto da Av. Guarapiranga nº 2045, primeiro ponto após o Terminal Guarapiranga, onde pegará a 707K já em trânsito. Caso o usuário prefira pegar a linha no próprio Terminal Guarapiranga, deverá descer um ponto antes, na Estrada do M’Boi-Mirim, em frente ao Atacadão, e seguir a pé por mais 2 minutos (tempo estimado pelo Google Maps).

“Concorrência” – Nos dois casos, há mais um período de tempo a ser considerado: o tempo do usuário na fila. Ou seja, além do tempo de deslocamento a pé entre as linhas, há ainda o tempo de fila para entrar na 707K.

Os usuários da outra linha que será seccionada, a 675Z/10 Jardim Guarujá-Metrô Jabaquara, terão uma vantagem em relação aos da 675V: a linha que fará a primeira parte do trajeto, a 7017/10 Jardim Guarujá-Terminal Guarapiranga, já virá do bairro pelo mesmo itinerário da linha original no trecho e o usuário entrará por ela no Terminal. Já o da 675V, além de passar a descer na rua para pegar a outra linha, vai ter de andar por um itinerário um pouco maior em relação ao da linha original, já que o da nova 6007/10 inclui mais ruas. Isso se ele ainda não tiver ido até o Terminal Capelinha por uma outra linha. No caso, seriam duas integrações e três ônibus, o que seria, do mesmo modo, bizarro.

As gestões vão se sucedendo… Mas os estudos técnicos que embasam as alterações parecem ser sempre os mesmos. Por mais que a população reitere que não quer balderar na rua, os técnicos continuam insistindo nessa política. Continuamos fazendo as mesmas mudanças mas sem investir na estrutura necessária para que elas sejam, de fato, benéficas à população.

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.