Uma viagem na 707K em seu primeiro dia

Hoje foi o primeiro dia de operação da linha 707K/10 Terminal Guarapiranga – Metrô Jabaquara, que substitui as linhas 675V/10 Terminal Capelinha – Metrô Jabaquara e 675Z/10 Jardim Guarujá – Metrô Jabaquara. A operadora da linha é a Transkuba Transportes Gerais, que utilizou 21 ônibus articulados, da frota mais recente depois dos ônibus que operam na linha 695T/10 Terminal Capelinha – Metrô Vila Mariana.

A ida – No começo da tarde, utilizamos a linha para ir até o Terminal Capelinha, reproduzindo o trajeto da 675V para compararmos os tempos. Deixamos o Metrô Jabaquara às 12h10. Do ponto inicial à Av. Washington Luiz foram 28min de viagem por dentro dos bairros do Jardim Oriental, Vila Babilônia, Vila Mascote e Vila Alexandria. Muitas ruas estreitas e com valetas muito fundas, por onde a articulação, inevitavelmente, raspava. Elas prejudicaram bastante o tempo de viagem, já que havia reduções constantes de velocidade. Mas, em relação ao dia a dia, não deve ter feito muita diferença pois a 675V e a 675Z já operavam com ônibus articulados.

Depois, já na Av. Washington Luiz, o coletivo pegou um pouco de lentidão mas nada que prejudicasse muito a viagem. O ônibus chegou ao Terminal Guarapiranga às 13h03. Foram 53min de viagem, três minutos acima dos 50min estimados pela SPTrans.

Tempos675V-10
Tempos da 675V/10, estimados pela SPTrans: partindo do Terminal Capelinha (ponto inicial) e partindo do Metrô Jabaquara (ponto final); “Manhã” e “Tarde” referem-se aos horários de pico (Arte: reprodução/site SPTrans)

Deixamos o ônibus e seguimos para o lado de fora do terminal, já na Estrada do M’Boi-Mirim. No ponto do corredor em frente ao Atacadão, sentido bairro, mal chegamos e já apareceu um ônibus da 6007/10 Terminal Capelinha – Terminal Santo Amaro – foram quatro minutos de um ônibus a outro. A 6007/10 é operada pela VIP Transportes Urbano (assim mesmo, no singular), com frota de ônibus articulados.

Logo que entramos, o cobrador já alertou: “Pessoal, é via Chácara!” Aliás, ele fez bem porque a antiga 675V seguia pelo Jardim Thomaz e Jardim Vaz de Lima. A SPTrans não alertou a respeito dessa diferença de itinerários (faremos uma consideração a respeito na próxima matéria). A 6007, desde antes de seu prolongamento até o Capelinha, segue via Chácara Santana.

tempos707K
Tempos da 707K/10, estimados pela SPTrans: partindo do Terminal Guarapiranga (ponto inicial) e partindo do Metrô Jabaquara (ponto final); “Manhã” e “Tarde” referem-se aos horários de pico (Arte: reprodução/site da SPTrans)

E, assim como no primeiro trecho da viagem, os articulados da linha sofreram nas valetas e ruas estreitas da Chácara Santana e demais bairros do trajeto. No entanto, não houve muitos problemas além das reduções de velocidade nesses pontos.

Chegamos ao Terminal Capelinha às 13h37, exatos 30min de viagem. Tempo total de viagem de 1h27min, ou 87min, cinco minutos acima dos 82min da tabela da 675V. E esses cinco minutos são justamente o tempo de embarque e desembarque no Terminal Guarapiranga.

A volta – Deixamos o Terminal Capelinha na 6007/10 às 13h43. Dentro do ônibus, estava uma senhora que pegou o coletivo por engano. Ela confundiu a 6007 com um veículo da linha 6840/10 Jardim Jacira – Terminal Capelinha. Aliás, o que ajudou na confusão foi uma inversão de pontos: o ponto da 675V, que seria ocupado pela 6007, foi repassado para a 6840; e o da 6840 foi para a 6007. A viagem até a parada João de Abreu do Corredor M’Boi-Mirim, que fica do lado oposto ao Atacadão, próximo ao Terminal Guarapiranga, levou 27min.

ParadaJAbreu
Parada João de Abreu: o usuário que vem do Terminal Capelinha pela 6007/10 deve descer aqui e seguir a pé até o Terminal Guarapiranga, para pegar a 707K (Arte: Google)

Seis minutos depois, às 14h16, partiu o ônibus da 707K/10 sentido Jabaquara. Neste ônibus, conversei com alguns passageiros que não sabiam da mudança. Eles estavam indo até o Terminal Jabaquara para pegar um ônibus rodoviário e temiam que os pontos tivessem mudado. Aliás, disseram que pessoas conhecidas deles também não sabiam das mudanças.

A viagem levou cerca de 54min (quatro acima do estimado pela SPTrans), chegando às 15h10 no Metrô Jabaquara. O tempo total de viagem foi de 1h27min ou 87min. Em relação à antiga 675V, o tempo foi superior em quatro minutos – o tempo estimado pela SPTrans era de 83min.

*

A viagem deste sábado é o retrato do que deveria ser sempre: viagens rápidas com conexões praticamente imediatas. Aos finais de semana, esta operação é bem mais fácil de ser feita, já que o fluxo de passageiros é menor. Agora, nos dias úteis… Terminais lotados, filas enormes de embarque, trânsito engarrafado nos corredores… Para a secção de linhas da maneira como foi com a 675V e a 675Z, ressaltamos, é necessário estrutura. Até porque, não basta que haja condições apenas nos finais de semana. É necessário que as condições apresentadas sejam permanentes. E, sem estrutura, é muito dificil que a qualidade do serviço de um final de semana seja refletido nos dias úteis.

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: contato@circularavenidas.com.br .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.