SPTrans estuda ampliar intervalos de linhas da Rede Noturna

No último sábado, em uma reunião com blogueiros e influenciadores digitais – a qual o Circular Avenidas esteve presente – o Secretário Municipal de Mobilidade e Transportes Sérgio Avelleda falou a respeito da possibilidade de ampliação dos intervalos das linhas da Rede Noturna. Segundo dados da SPTrans, o custo médio por passageiro das linhas noturnas é de R$ 7,57 enquanto o custo médio do passageiro do sistema é de R$ 2,57: “Quando a gente pensa em mexer na Rede Norturna, é porque estamos sufocados. Nós estamos desesperadamente sufocados com a questão do financiamento. Vocês viram que o valor por passageiro da Rede Noturna é de R$ 7,57 e no sistema é ao redor de R$ 2,50. Custa três vezes mais caro transportar o passageiro da rede noturna do que o passageiro do dia”, disse o Avelleda.

Para diminuir o custo do transporte noturno, já foram tomadas algumas iniciativas como o aumento de intervalo da linha estrutural N508/11 Terminal Sacomã-Terminal Parque Dom Pedro II, uma das menores demandas das noturnas da área 5, que ocorreu em fevereiro passado. O intervalo era de 15min de intervalo e foi alterado para 30min. Além disso, algumas linhas tiveram a troca de tipo de veículo: de básico para midi ou mesmo Padron por básico. A própria N508/11 teve alteração de frota, de padron (veículo com motor traseiro) para básico (ônibus com motor dianteiro).

Uma nova rodada de alterações foi programada pela SPTrans para 19 de agosto mas o Secretário suspendeu até que a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes deliberasse sobre o tema. Seriam mais de cinquenta alterações que abrangiam tanto mudança de tecnologia como a dos intervalos.

A Rede Noturna possui 150 linhas, cuja operação custa R$ 7,5 milhões por mês. Ela possui uma frota de 544 veículos, sendo 249 para linhas estruturais, 226 para linhas locais e 69 de reserva técnica. O desafio será compatibilizar a essência social deste tipo de linha com o custo: “O ideal é expandir, sempre assim. Mas o problema é que temos um cobertor que está muito curto. Talvez, quando implantaram essa rede noturna, [a Prefeituta] tinha uma realidade financeira mais favorável”, completou Avelleda.

Um participante do evento lembrou que aumentar o intervalo das linhas noturnas é, praticamente, voltar ao sistema anterior ao da rede noturna, onde a maior parte delas tinha, pelo menos, 50min entre um ônibus e outro. Desta forma, o sistema pode se tornar menos atrativo e ser trocado pelo transporte individual.

José E. Sales

É blogueiro desde 2009, primeiramente no extinto "Linha Circular" e, agora, no "Circular Avenidas". Foi colunista da "Revista Interbuss" entre 2010 e 2015. É um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Também é estudante de jornalismo e quer se especializar na área de mobilidade urbana. Fale conosco: contato@circularavenidas.com.br .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.