Superlotação

Principal acesso ao desfile de blocos da 23 de Maio, estação Paraíso superlota e atrapalha a operação de três linhas do Metrô

Na tarde de ontem, houve superlotação na Estação de Metrô Paraíso, que atende as linhas 1-Azul e 2-Verde do Metrô de São Paulo. A estação é o principal acesso à Avenida 23 de Maio, onde estava ocorrendo, pela primeira vez, desfile de blocos carnavalescos.

Estação Paraíso de manhã: movimento tranquilo, apesar do número alto de pessoas esperando junto aos bloqueios.

No começo da manhã, a situação estava tranquila. O que chamava a atenção era o número de pessoas paradas junto às catracas da estação. A maioria esperava os amigos, vindos de outros pontos, para seguirem juntos até a Avenida 23 de Maio. No entanto, naquele horário, não havia interferência na circulação.

Por volta das 14h30, o aplicativo “Direto do Metrô” anunciou o primeiro sinal de problemas. A mensagem falava em “Ocorrência de Segurança Pública”. A partir daí, as linhas 1-Azul e 2-Verde passaram a operar com velocidade reduzida. Alguns minutos depois, a Linha 3-Vermelha, por ter conexão com a Linha 1-Azul, passou a operar na mesma condição.

Lado de fora da Estação Paraíso: pessoas aguardavam os amigos para seguir para o desfile.

Do lado de fora da estação, o que se via eram muitas pessoas paradas esparando os amigos ou seguindo para a Avenida 23 de Maio. Isso afetou o trânsito na Rua Bernardino de Campos, onde ficam os dois principais acessos à estação. O ponto de ônibus, situado em um recuo em frente ao acesso do sentido centro da Bernardino, foi tomado por pessoas e ambulantes. Saiam da estação muitas pessoas com bebidas alcoólicas na mão. No sentido bairro da Bernadino, a faixa da direita foi tomada pelas pessoas. Os ônibus passavam direto pelo ponto de ônibus.

Rua Bernardino de Campos tomada por pessoas

Chegamos a adentrar a estação por alguns instantes. Havia muitas pessoas em pé ou sentadas junto às paredes da estação, esperando os amigos com quem iriam aos desfiles. No entanto, desta vez, era muito mais gente. Isso formava um corredor nas saídas dos acessos, reduzindo a área de circulação para quem queria deixar a estação. Havia ainda pessoas com bebidas alcoólicas. Os seguranças pouco podiam fazem em meio a tanta gente.

Já na Rua Vergueiro, que onde ficam outros dois acessos à estação – um dos quais estava fechado – foi bloqueada para tráfego de veículos. As linhas de ônibus que seguiam no sentido Liberdade pela via tiveram de realizar um itinerário contingencial, já previsto pela SPTrans. No entanto, nada além das linhas normais.

Rua Vergueiro, interditada para o tráfego de veículos.

Por volta das 18h, o Metrô adotou restrições de acesso à estação: na entrada principal, que fica no sentido centro da Av. Bernadino de Campos, o fluxo era só de saída; a outra entrada, na Bernardino de Campos, sentido bairro, foi fechada; e o acesso pela Rua Vergueiro com a Rua Dr. Eduardo Amaro ficou só para a entrada de usuários. Esse esquema perdurou, pelo menos, até por volta das 20h, quando deixamos o local. Por volta das 19h, a circulação das linhas 1, 2 e 3 foi normalizada.

Para a volta pra casa, seguimos para a o acesso indicado da Estação Paraíso, pela Rua Vergueiro com a Dr. Eduardo Amaro. O portão de entrada estava fechado pela metade, reduzindo o fluxo de usuários. Dentro da estação, muita gente. A estação estava muito suja. Os agentes do Metrô controlava o acesso, mantendo as escadas rolantes desligadas. Chegando na Plataforma 2, sentido Jabaquara, a circulação aparentava normalidade. Como o trem veio logo, não percebemos anomalia nos intervalos.

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.