Estações de metrô podem fechar aos finais de semana para instalação de portas

“A intervenção para se instalar uma porta de plataforma em uma linha que está operando não é fácil. Você tem que fazer obras de engenharia, você tem um tempo de secagem do concreto para depois colocar aquela face. Na época oportuna, vai ter que em finais de semana e feriados fechar uma estação para conseguir fazer essa intervenção”. Palavras do Secretário dos Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy, em entrevista coletiva nesta terça-feira.

O edital para a entrega das propostas foi lançado em setembro de 2018 e, em março, encerra-se a entrega das propostas. O edital prevê a aquisição de 88 fachadas de portas para 36 estações. Ainda não há prazo para o início da instalação dessas portas.

De todas as estações da rede de metrô, as estações Vila Prudente, Sacomã e Tamanduateí, da Linha 2-Verde, Vila Matilde, da Linha 3-Vermelha, todas as linha 4-Amarela e a Adolfo Pinheiro da Linha 5-Lilás possuem portas de plataforma funcionando. A estação Vila Matilde, da linha 3-Vermelha, foi um projeto piloto da instalação das portas em estações mais antigas mas que ficou apenas nela. As da Linha 5-Lilás já deveriam ter sido entregues com os equipamentos mas os prazos não foram cumpridos pela empresa que faz a instalação. Hoje as das estações Santa Cruz e Brooklin, da Linha 5, possuem o equipamento mas ainda não em funcionamento.

As portas de plataforma é uma demanda que começou a ser agilizada depois que o menino Luan, de 3 anos, faleceu ao ser atropelado por um trem, depois de ter se perdido da mãe e caído na via dentro do túnel próximo à estação Santa Cruz. A presença das portas teria evitado o acesso do garoto à via.

==========

Siga o Circular Avenidas nas redes sociais:

José E. Sales

Estudante de jornalismo e um apaixonado por mobilidade urbana, especialmente por ônibus. Fale conosco: esales@circularavenidas.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.