Noticias

Chamamento Público: as quatro concorrentes aos lotes 3, 5, 6 e 7 foram habilitadas

Nesta terça, 26 de março, foi publicado no Diário Oficial do Município de São Paulo as propostas comerciais das empresas que atenderam ao Chamamento Público para operar as áreas 3, 5, 6 e 7 em caráter emergencial por, no máximo, 180 dias. A contratação ocorre porque o Consórcio Plus, da área 3, Consórcio Via Sul, da 5, Viação Cidade Dutra, da 6, e VIP Transportes Urbanos, da 7, não conseguiram tirar certidão negativa de débitos junto à União para prosseguir operando. Hoje elas operam mas são “indenizadas” diariamente enquanto as operadoras não são definidas.

As propostas foram abertas na tarde da última segunda, às 15h. O valor da Tarifa de Remuneração Ofertada (TRO), proposta pelas empresas, foi justamente o mesmo valor máximo definido pela Prefeitura no edital da concorrência. Ou seja, não houve desconto para o município. O mesmo ocorreu, horas antes, na licitação das linhas de ônibus da capital quando, com exceção da Viação Gatusa, todas as demais concorrentes apresentaram valor de remuneração igual ao máximo estipulado no edital. Nos dois certames, caso houvesse mais de um concorrente habilitado em cada lote, o que oferecesse o menor valor seria o classificado.

As concorrentes e os valores ofertados são os seguintes:
Área 3-Nordeste: City Transportes Urbanos, empresa do grupo Vip = valor máximo/edital: R$ 3,8659; valor oferado: R$ 3,8659;
Área 5-Sudeste: Via Sudeste, empresa ligada à Via Sul Transportes = valor máximo/edital: R$ 3,3605; valor ofertado: R$ 3,3605;
Área 6-Sul (lote 6.1): Viação Grajaú, empresa ligada à Viação Cidade Dutra = valor máximo/edital: R$ 3,4259; valor ofertado: R$ 3,4259;
Área 7-Sudoeste (lotes 7.3 e 7.4): Viação Metrópole Paulista, empresa do grupo Vip = valor máximo/edital: R$ 2,8434; valor ofertado: R$ 2,8434.

De acordo com o Diário Oficial, todas as empresas foram habilitadas. Agora, de acordo com a publicação, “o expediente segue para fins de homologação e adjudicação”.

Histórico – Além das empresas vencedoras, uma quinta empresa, a Tambaú Transportes, também manifestou interesse em concorrer. Ela apresentou documentação e proposta pelos quatro lotes.

Assim como as demais, ela teve problemas na análise da documentação. No Diário Oficial do dia 1º de março, a Prefeitura publicou a inabilitação das cinco empresas concorrentes. No entanto, durante o período de recurso, a City, Via Sudeste, Viação Grajaú e Viação Metrópole Paulista, conseguiram regularizar a documentação e foram habilitadas para a abertura das propostas comerciais. A Tambaú não conseguiu e, por isso, ficou de fora do certame.

As viações Sudeste, Grajaú e Metrópole Paulista também participaram da licitação das linhas de ônibus da cidade. As três foram classificadas: a Viação Metrópole Paulista para operar as áreas 3 e 7, a Via Sudeste, para operar a 5 e a Viação Grajaú para operar a 6. A City Transportes não participou do certame.

==========

Siga o Circular Avenidas nas redes sociais:

1 COMMENTS

  1. Então isso significa que após os 180 dias do chamamento público e com tudo sendo regularizado junto ao governo federal poderá ocorrer uma nova mudança de nome na área 3 de CITY + para METRÓPOLE PAULISTA ???
    Porque se a prefeitura resolver manter o nome CITY ocorrerá mais uma irregularidade entre tantas que existem!!!
    NÃO FAZ SENTIDO uma das maiores cidades do mundo em uma licitação ter apenas um interessado em cada uma das áreas existentes dentro das 3 modalidades de atendimento: estrutural, distribuição e articulação regional. Não é possível que empresas dentro do Estado de SP sejam de fretamento ou de urbanos de outras cidades não tivessem interesse em participar da licitação. Há mais de 20 anos uma empresa de fretamento entrou no transporte coletivo urbano de São Paulo e existe até hoje: é a KUBA que entrou em 1993 ainda na época do saudoso Paulo Maluf, aquele que rouba, mas faz!!

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *